O cuidado!
Classificação e segurança
Tradução Técnica
Agências Especializadas

 

Segundo o Artigo 197, da lei 6.514, de 22/12/1977: “Os materiais e substâncias empregados, manipulados ou transportados nos locais de trabalho, quando perigosos ou nocivos à saúde, devem conter, no rótulo, sua composição, recomendações de socorro imediato e o símbolo de perigo correspondente, segundo a padronização internacional. Os estabelecimentos que mantenham as atividades previstas neste artigo afixarão, nos setores de trabalho atingidos, avisos ou cartazes, com advertência quanto aos materiais e substâncias perigosas ou nocivas à saúde.”

 

O cuidado!

 

Por ano milhares de pessoas morrem ou tem algum tipo de ferimento grave por causa de algum produto químico. Esses produtos, embora muito presentes em nosso dia a dia, necessitam de uma atenção muito especial porque podem causar estragos se entram em combustão ou tem algum tipo de contato direto com nossa pele.

 

DANGER!

 

Produtos considerados prejudiciais à saúde um ao meio ambiente costumam ser classificados como perigosos (falaremos sobre classificação logo abaixo) e são rotulados de alguma forma que informe que seu manuseio requer muito cuidado ou que ele deve ser mantido em uma temperatura específica e longe do alcance de crianças e animais.

Toda essa atenção e dá pelo fato de que vários desses produtos químicos são necessários para que muitas das coisas que temos hoje em dia funcionem, tornando necessária uma regulamentação de proteção à saúde.

 

KEEP OUT!

 

O cuidado é tanto, que desde pequenos somos ensinados a entender esses aviso de cuidado apenas com linguagem imagética. Exibindo uma caveira, colocando um símbolo de X ou até a figura de alguém passando mal são alguns dos tipos mais comuns de linguagem através das imagens, uma tentativa de quebrar algumas barreiras linguísticas que podem ser cruciais quando falamos sobre segurança.

 

Classificação e segurança

 

A partir dessas condições, cada país segue algum tipo de norma que contemple a lógica de segurança da ISO, a International Organization for Standardization, uma entidade de padronização e normatização que visa garantir a nossa integridade a partir da necessidade que há de se seguir as normas internacionais de qualidade e segurança.

Esta foi a sigla escolhida porque em grego isos significa “igual”, o que se enquadra com o propósito da organização em questão. A ISO tem como objetivo principal aprovar normas internacionais em todos os campos técnicos, como normas técnicas, classificações de países, normas de procedimentos e processos, e etc.

 

ABNT

 

Associação Brasileira de Normas Técnicas.

A ABNT representa o Brasil na ISO, atuando para garantir que parâmetros de produtos e serviços sigam as regras necessárias.  É importante que se tenha um padrão para tudo o que lemos, pois isto facilita não só a leitura mas principalmente a compreensão do que estamos lendo, pois é possível identificar mais facilmente o produto.

A partir dessas normas são feitas algumas regulamentações, dentre elas a norma ABNT NBR 14725-4 que trata dos “Produtos químicos – Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente. Parte 4: Ficha de informações de segurança de produtos químicos (FISPQ)”.

 

FISPQ

 

Ficha de Informação de Segurança do Produto Químico.

A FISPQ é um documento que fornece diversas informações importantes sobre um produto e seu correto gerenciamento, como medidas de manuseio, transporte, armazenamento e descarte, os riscos associados, ações de segurança e de proteção ao meio ambiente, dentre outras.

A Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos é composta por 16 seções obrigatórias, cujos títulos, numeração e sequência devem ser sempre mantidos da seguinte forma:

 

  1. “Identificação” ou “Identificação do produto e da empresa”;
  2. “Identificação de perigos”;
  3. “Composição e informações sobre os ingredientes”;
  4. “Medidas de primeiros-socorros”;
  5. “Medidas de combate a incêndio”;
  6. “Medidas de controle para derramamento ou vazamento”;
  7. “Manuseio e armazenamento”;
  8. “Controle de exposição e proteção individual”;
  9. “Propriedades físicas e químicas”;
  10. “Estabilidade e reatividade”;
  11. “Informações toxicológicas”;
  12. “Informações ecológicas”;
  13. “Considerações sobre destinação final” ou “Considerações sobre tratamento e disposição”;
  14. “Informações sobre transporte”;
  15. “Informações sobre regulamentações” ou “Regulamentações;
  16. “Outras informações”;

 

A partir da classificação determinam-se os símbolos, a palavra de advertência, as frases de perigo e de precaução, que são fundamentais na sistematização da comunicação de perigo por meio do rótulo e da FISPQ. Os empregadores, ao adquirirem produtos químicos, devem exigir as respectivas FISPQs e disponibilizarem-nas aos funcionários, visto que é obrigação do fabricante elaborar a ficha de regulamentação. Para mais informações sobre a ficha, acesse o Catálogo ABNT referente.

 

Tradução Técnica

 

O grande desafio desse tipo de tradução é de que termos específicos dentro da língua-fonte sejam traduzidos para a língua-alvo sem que se perca o sentido base. É muito importante que tudo seja muito bem pesquisado e montado de acordo com o contexto da língua-alvo, principalmente quando se trata de uma comunicação mais concreta e voltada para a nossa segurança.

 

Adaptação dos Termos

 

É fundamental que tradutores busquem assessoria lingüística com profissionais da área, para evitar certas armadilhas clássicas e submeter o texto a uma boa revisão com profissionais da área, solucionando dúvidas e debatendo significados.

É importante que se tenha muito cuidado na tradução dos termos mais específicos porque muitas vezes aquela forma de escrita é a utilizada mundialmente, então apenas o contexto precisa de uma tradução que caiba aquela informação do jeito que está e continue tendo sentido dentro daquele nicho.

Deve-se sempre realizar uma extensa pesquisa bibliográfica em busca de termos já traduzidos em publicações anteriores, procurando-se manter a escolha do primeiro tradutor, porque a unificação da tradução técnica facilita a compreensão e acelera a incorporação dos termos.

 

Análise de contexto

 

O melhor resultado possível para uma tradução técnica é que ela cumpra da melhor forma e com a mesma competência, todas as funções do texto original. Ou seja, quem lida com tradução precisa estar ciente dos assuntos que estão sendo tratados para que a comunicação não seja falha e que, de fato, o que foi traduzido esteja de acordo com a realidade de cada língua sem perder o sentido base.

 

Agência Especializada

 

Por se tratar de um tipo de tradução que exige muito cuidado a atenção máxima em tudo, é importante que mesmo após um tradutor não especializado ter feito a tradução, que se contrate uma empresa de tradução para revisar o que foi traduzido e/ou apresentar a sua proposta de tradução.

 

Tradutor especializado no assunto

 

Diferente dos nossos conhecimentos de um idioma, o tradutor especializado, antes de qualquer coisa, é um profissional da área que se está traduzindo. Grandes agências buscam colaboradores que não só entendem das línguas em si, mas também do conteúdo que está sendo traduzido.

Um tradutor especializado em química, por exemplo, seria um profissional indicado para fazer esse trabalho porque seu conhecimento no assunto enriqueceria a tradução e evitaria possíveis falhas de comunicação.

 

Universo Traduções

 

A Universo Traduções além de contar com uma equipe de tradutores altamente capacitados e com experiência em diversos segmentos, revisores técnicos e diagramadores, contamos também com tecnologia de ponta para aprimorar esse processo e fazer um trabalho de tradução técnica com muita qualidade.

Contamos com profissionais aptos para realizar qualquer tipo de tradução, independe do contexto do documento a ser traduzido.Contamos com tradutores nativos e não nativos que tem familiaridade com as mais diversas áreas de conhecimento.