Skip links

4 coisas para saber sobre legendagem!

Com o aumento das plataformas de streaming, a legendagem passou a ser uma boa pedida para quem trabalha como tradutor e gosta de assistir filmes e séries. Mas, não basta saber traduzir: a legendagem de vídeos envolve também algumas técnicas importantes tanto para o trabalho do tradutor, quanto para que o espectador. Vamos ver algumas curiosidades sobre essa área?

Você vai precisar assistir o mesmo episódio ou filme várias vezes

Um pensamento comum quando se pensa em uma carreira focada na legendagem de vídeos é “Nossa, que legal, vou trabalhar assistindo várias séries, vários filmes”. Isso pode ser verdade, mas também pode acabar sendo um pouco chato assistir uma, duas, três, quatro vezes o mesmo conteúdo, sempre prestando atenção nos mínimos detalhes. Isso porque você necessariamente precisa assistir ao vídeo que vai legendar antes de começar a trabalhar, e com certeza vai precisar rever pelo menos uma vez – provavelmente mais – depois de ter concluído o trabalho. Isso sem contar as várias vezes que você vai ver cada cena para fazer a sincronização das legendas. Ou seja, você provavelmente vai enjoar da cara daqueles personagens, e até decorar o que eles dizem. Mas toda essa repetição é importante. Assistir ao vídeo antes de começar a legendar coloca o tradutor em contato com o material, e já vai acionando algumas opções de tradução na cabeça do profissional, o que vai acabar por deixar aquelas legendas menos mecânicas, mais espontâneas e bem-pensadas. Também é importante considerar, ao legendas um episódio de alguma série, por exemplo, que é boa ideia assistir a outros episódios da série para conhecer as relações entre os personagens, o humor de cada um, o tom que cada um usa… Tudo isso vai influenciar o tipo de tradução que vai ser feita. E rever o episódio, ou filme, ou vídeo institucional algumas vezes depois de ter concluído o processo de legendagem é importante para “pegar” aquelas inconsistências que podem ter passado despercebidas: por exemplo, você pode ter traduzido o mesmo termo de um jeito em 1 minuto e de outro jeito aos 20 minutos; isso precisa ser padronizado. Também, é claro, é importante fazer uma revisão gramatical, ver se não ficou algum erro de digitação etc. Então, sim: trabalhar com legendagem de vídeos pode ser muito interessante… mas também repetitivo!

Muito além da tradução

Não é aconselhável pensar na tradução de legendas como se pensa na tradução de artigos científicos, ou até de livros. É claro que a tradução de qualquer texto vai exigir interpretação do que está sendo dito ali. Mas a interpretação exigida durante a legendagem de vídeos vai muito além da necessária para traduzir textos escritos. É preciso levar em consideração todo o contexto do filme, da série, do vídeo. Pensando em um vídeo institucional de uma empresa, por exemplo, você vai precisar conhecer a cultura daquela empresa, levar em consideração quem é a pessoa que está falando, a quem o vídeo se dedica – a funcionários, a executivos – e o tom utilizado ali, mais formal, mas descontraído… Tudo isso vai mudar as escolhas feitas durante a legendagem do vídeo. Para além disso, a legendagem de vídeos envolve muito trabalho de localização – ou seja, trazer aspectos culturais, políticos, sociais daquele vídeo para a cultura e língua de chegada, no nosso caso, o Brasil e o português. Um caso especialmente emblemático dessa necessidade são as séries de comédia, como Friends, The Big Bang Theory e Grace & Frankie. Essas séries só vão ter graça – e fazer sucesso – para quem não entende a língua original se as legendas forem bem atualizadas para o público brasileiro. Ou seja, todos aqueles trocadilhos culturais, piadinhas sobre escândalos políticos dos Estados Unidos (ou outro país), tudo isso vai ter que ser “trazido” para a realizado do espectador brasileiro. Quem não conhece a cultura Norte Americana, por exemplo, não vai achar graça em alguma piada envolvendo um produto que só é utilizado lá. É papel do tradutor que está legendando aquele vídeo adaptar esse texto para que ele fique compreensível – e engraçado, que é onde mora a dificuldade. É diferente da literatura, onde há muito mais liberdade para a manutenção dessas marcas culturais do texto de origem. O vídeo é mais imediato – e a solução precisa ser mais imediata também.

Enxugando as palavras

Uma coisa que talvez as pessoas não percebam sobre a legendagem de vídeos é que é às vezes é necessário resumir muito o que está sendo dito no vídeo. Isso acontece porque o olho humano não tem a capacidade de ler legendas muito longas. Nosso cérebro não registra uma palavra por vez quando lemos, mas, sim, um conjunto de apalavras, e a partir dele, apreendemos o sentido do que está sendo dito ali. É o mesmo com as legendas – com o agravante de que o espectador precisa, ao mesmo tempo, ver as cenas que estão sendo mostradas na tela. Nas legendas, o tempo é algo fundamental: precisa ser o bastante para transmitir o que está sendo dito, e também para que as pessoas assistindo consigam ler aquelas linhas. Isso quer dizer que o tradutor vai precisar fazer algumas escolhas complicadas na hora de traduzir para legendagem de vídeo: ele não vai poder traduzir o que está sendo dito no vídeo palavra por palavra. Vai ter que resumir a fala para que caiba em no máximo duas linhas de legenda na tela e para que, ao mesmo tempo, faça as pessoas rirem, ou chorarem, ou ficarem indignadas. Esse é um dos motivos por que às vezes estamos assistindo a alguma coisa, sabendo a língua que está sendo falada, e nos perguntamos: por que foi traduzido assim? Claro, existem casos em que a tradução está errada, mas, na maioria das vezes, foi a escolha necessária para que a legenda seguisse o formato ideal. Também é por isso que a tradução da dublagem e da legenda é, na maioria das vezes, diferente: na dublagem, o texto precisa acompanhar o movimento dos lábios das pessoas na tela, além de preencher a extensão da fala. Não é o caso das legendas.

Softwares e outras questões técnicas

Alguns clientes não vão pedir que o tradutor também insira as legendas no vídeo. Será sua responsabilidade apenas traduzir o texto que, então, será sincronizado com as imagens. Porém, em outros casos, será que necessário que o tradutor envie o arquivo com as legendas “queimadas” – ou seja, já embutidas no arquivo de vídeo e sincronizadas. Os profissionais de legendagem de vídeo usam softwares tanto para inserir as legendas e sincronizá-las, quanto para formatá-las, mudar a cor, o formato, a fonte etc. Algumas opções de programas utilizados são Subtitle Edit, Subtitle Workshop, Aegisub e Format Factory. Outras características técnicas que devem ser levadas em consideração durante a legendagem de vídeos são o tempo que legendas ficam na tela – entre 1 e 6 segundos, ou seja, o texto não pode ficar ali por menos de 1 segundo, nem mais de 6; o número de linhas que uma legenda pode ter – até duas linhas; e o número máximo de caracteres que as legendas devem incluir – entre 30 e 40, sendo que legendas para a TV tendem a ser mais curtas, 30 a 35 caracteres, e legendas para o cinema, mais longas: de 35 a 40.

Esperamos que esse artigo tenha sido interessante e sanado algumas dúvidas sobre a área de legendagem de vídeos, que está crescendo muito tanto no Brasil, quanto no resto do mundo, e que vai muito além da tradução.