A história do Espanhol na ESPANHA

A história do idioma espanhol na Espanha começa com a evolução linguística do latim vulgar que dá origem aos dialetos da Espanha.

A origem do idioma espanhol pode ser encontrada na família das línguas indo-europeias. Cerca de 2000 anos antes do nascimento de Cristo, os celtiberos falavam uma língua celta antiga.

Os habitantes dessa região, uma área à qual os intelectuais mais tarde se refeririam como “Hispania”, começaram a aprender latim com os romanos. A combinação do idioma celta e do latim evoluiu para o que muitos denominam de “latim vulgar”. O latim vulgar era uma forma adaptada do latim que usava frases e palavras diferentes do latim tradicional.

Quando os visigodos tomaram o poder sobre a região chamada Hispania, o latim continuou sendo o idioma predominante e oficial da região. Isto continuou até que os mouros, um grupo falante de árabe, conquistaram a região. O árabe se tornou a língua predominante, exceto em certas regiões dominadas pelos cristãos, nessas áreas, o latim vulgar ainda era a língua oficial. À medida que os grupos cristãos começaram a recuperar a Espanha moura, o latim vulgar voltou a ser a língua predominante em todas as regiões.Embora predominasse o latim vulgar, uma variante foi adotada, integrando o árabe e diferentes configurações de um dialeto próximo chamado moçárabe. Estima-se que cerca de 3000-4000 palavras do espanhol atual derivam do árabe.

Os dialetos castelhanos do espanhol começaram a tomar forma por volta do século XIII com o rei Alfonso X de Castela e Leão, conhecido como “o Sábio”. Toledo tornou-se o epicentro cultural para o Rei e seus intelectuais. Em Toledo, estes intelectuais escreveram obras em castelhano e logo começaram a realizar uma série de traduções para o castelhano de diversas obras pertencentes à área das ciências, do direito, da literatura, da história, etc. Estas traduções tornaram-se a base para a divulgação de informação numa parte significativa da Europa Ocidental. O Rei logo declarou o castelhano como língua oficial para os documentos e decretos .

O predomínio do dialeto castelhano continuou crescendo à medida que os reinos católicos se apoderaram da maior parte das regiões da Espanha. Isabel e Fernando declararam o espanhol dialeto oficial. Pouco tempo depois, apareceu a “Arte de la Lengua Castellana”, uma obra que ajudou a dar forma à língua espanhola e normalizá-la.

O castelhano tornou-se então a língua oficial para materiais educacionais e documentos oficiais em toda a Espanha. Certas regiões mantiveram diferentes dialetos: o mais notável entre eles é o andaluz, que se fala em Sevilha e seus arredores.

A História do Espanhol

A História do Espanhol na América Latina

Compartilhe

Faça um orçamento instantâneo

Uma solução fácil para você ganhar tempo e qualidade, fale com um de nossos atendentes.

Artigos relacionados