Skip links

Como cuidar das finanças quando se é Tradutor Freelancer?

Para muita gente, parece impossível trabalhar como autônomo por causa da instabilidade financeira que acompanha esse estilo de trabalho. De fato, talvez uma das maiores desvantagens de trabalhar por conta é não saber qual vai ser o seu “salário” no fim do mês – já que você nem recebe só no fim do mês, e nem de uma vez só. É verdade que pode ser difícil lidar com isso, mas também não se pode escapar do fato de que a maioria dos tradutores trabalha como freela. Alguns têm, também, algum emprego fixo, mas muitos exercem apenas a profissão de tradutor. Então, vale a pena pensar em como administrar suas finanças pessoais para não acabar se vendo em algum aperto financeiro. Neste artigo, damos algumas dicas para você cuidar das suas finanças com responsabilidade e eficiência.

Tenha um orçamento mensal

Quem nunca se perdeu em meio ao mar de boletos que chegam no início do mês? E quem nunca se viu sem dinheiro depois de pagar o cartão de crédito, por nem saber o quanto tinha gastado?

Isso acontece, mas para quem não sabe o quanto vai receber mês a mês, é especialmente importante ter bem claro qual é o seu orçamento mensal, o quanto você gasta e pode gastar em cada área da sua vida. É bom você saber quanto tem de gastos fixos no mês – aluguel, internet, luz, plano de saúde… –, quanto você gasta em comida, e quais os seus gastos com lazer. Sim: até o ingresso do filme que você sabe que vai querer ver no cinema deve constar no seu orçamento! Além disso, uma parte desse planejamento deve prever um valor a ser guardado para emergências. Enfim: saiba quanto dinheiro você ganha e no que ele será gasto. Estabeleça um valor máximo para gastar jantando fora ou em festas, por exemplo. Tudo isso vai te ajudar a não ser pego de surpresa pelos seus gastos de um mês para o outro.

Não fique com medo de checar sua conta

Vamos dizer a verdade: muita gente tem é medo de falar de dinheiro, de finanças. Não quer pensar no quanto ganha, muito menos no quanto gasta, e menos ainda em no que gasta. Mas ignorar o problema não o faz ir embora. Se você não pensar na sua vida financeira, vai acabar em apuros. Então é importante, sim, saber muito bem quanto dinheiro você tem na sua conta, na sua poupança, ou investido. Depois daquela noite louca da qual você nem lembra muito bem, respire fundo e veja o quanto gastou – vai ter muita influência no seu orçamento mensal? Sabendo o quanto você gastou, você pode se preparar e deixar de jantar fora, por exemplo, assim ainda se mantendo dentro dos seus planos de gastos. A melhor amiga de qualquer pessoa quando se trata de planejamento financeiro é a informação; você não pode se planejar se não sabe o quanto tem e o quanto gasta. Então, supere esse medo e fique no controle das suas contas, não deixe que elas controlem você.

Guarde dinheiro

Essa é uma dica, talvez, controversa. É verdade que muita gente não tem como guardar dinheiro, por viver mês a mês com dinheiro contado. Essa é, inclusive, a realidade de muitos – talvez a maioria – dos freelas. Mas, sempre que for possível guardar dinheiro, é realmente aconselhável que se faça isso. A vida do tradutor autônomo é instável não só no salário, mas no trabalho também – todo mundo sabe que em alguns meses você não consegue parar nem para tomar um café de tantos projetos que chegam, e em outros meses você passa os dias inteiros assistindo a Netflix, porque não chega e-mail de cliente nenhum. Faz parte! Mas, para não pirar nesses meses em que não entra quase nada (às vezes, nada mesmo) de dinheiro, ter um dinheiro guardado faz toda a diferença.

Idealmente, tente guardar todo mês. Mesmo 10, 20 reais podem fazer a diferença depois. Pode parecer impossível, mas naqueles meses em que entram muitos projetos e, consequentemente, mais dinheiro, tente guardar bastante – não saia gastando em qualquer coisa só porque está com um número mais alto na conta. Pense: se você conseguir ter o suficiente para cobrir dois ou três meses das suas contas básicas, pode viver muito mais tranquilo e, aí sim, gastar em coisas “supérfluas” sem peso na consciência, pois vai saber que não vai ser pego de surpresa mais para frente.

Guardar dinheiro também envolve planejamento para compras grandes, como um computador ou celular novo, ou uma viagem de férias. Ou seja: tente adquirir e manter esse hábito, pois ele vai facilitar muito a sua vida no geral, não só a sua vida financeira!

Tente ter uma previsão de como será o mês seguinte

Isso pode ser difícil, porque muitas vezes não temos nem ideia de quais projetos vamos receber nem de uma semana para a outra. Porém, às vezes você pegou algum trabalho grande, ou sabe que vai receber por algum projeto só no mês que vem, e já pode começar a se planejar. Também é bom prever como estarão suas contas – o que você tem parcelado? Você vai precisar comprar alguma coisa? Vai viajar e quer ter uma grana extra para gastar? Tudo isso entra nesse planejamento prévio, que pode ser extremamente útil para entrar com tranquilidade em cada mês, sem medo de tentar pagar a conta do bar no débito e não passar.

Use algum app de monitoramento de gastos

Por fim, e como sempre, a tecnologia pode nos ajudar a monitorar nossos gastos e nossas finanças. Você pode usar o Excel para fazer tabelas com seus gastos, ou mesmo utilizar o aplicativo do seu banco para isso, pois a maioria já tem essa funcionalidade. Mas uma boa pedida pode ser baixar um app que seja especificamente para isso. Algumas opções são o GuiaBolso e o Minhas Economias, disponíveis para Android e iOS, e o MoneyWise, disponível apenas para Android. Nesses apps, você vai ver direitinhos no que mais gasta, podendo, assim, controlar aquele ímpeto de gastar sempre pedindo comida, por exemplo. De novo: informação sobre suas finanças é sua amiga, não tenha medo dela.

Esperamos que este artigo tenha oferecido boas dicas e soluções para você cuidar da sua vida financeira assim como cuida da sua saúde: com atenção e dedicação!