Seja para alcançar uma promoção, conversar com pessoas de diferentes nacionalidades ou viajar para outro país o desejo de aprender um novo idioma faz parte da vida de muitos brasileiros. Contudo para assimilar uma quantidade nova de palavras, uma estrutura gramatical que difere da nossa, isso sem falar no sotaque requer tempo e dedicação.

Para a alegria de muitos, especialistas chegaram à conclusão de que com apenas 1 hora de estudo diário é possível avançar nos estudos e obter resultados significativos. Isso sem falar que tais práticas têm impacto direto na memória, evitando o envelhecimento do cérebro com o avanço da idade.

O tempo de estudo para se aprender um novo idioma depende do quão próxima sua língua materna é do idioma que deseja aprender. O importante é concentrar-se neste objetivo e criar o hábito de estudar todos os dias. Porém é preciso saber estudar! Continue lendo e saiba o que fazer  aprender um novo idioma. 

 

Quanto tempo leva para aprender um novo idioma?

Um estudo realizado pelo Instituto de Serviços Estrangeiros dos Estados Unidos (FSI) revelou quanto tempo leva para aprender determinados idiomas, com base em nativos do inglês. O FSI divide os idiomas em quatro níveis de dificuldade:

O primeiro grupo traz o francês, italiano, espanhol, português, dinamarquês, sueco, norueguês, romeno e holandês, nos quais são necessárias cerca de 700 horas de prática para alcançar a fluência intermediária. No grupo 2, para atingir o mesmo nível de fluência são necessárias 900 horas de estudos no alemão, malaio, swahili e indonésio. 

Já o grupo 3, considerados mais difíceis, exige do estudante cerca de 1100 horas de prática, são elas: tcheco, grego, hindi, búlgaro, finlandês e hebraico. Por último, temos o grupo 4 com o árabe, chinês, japonês e coreano, sendo necessário cerca de 2200 horas de estudo. 

A princípio pode parecer assustador, mas especialistas chamam a atenção para os benefícios cognitivos de se aprender um novo idioma.  “[…] a habilidade fina de manipular e utilizar informações de forma flexível, manter as informações na mente e suprimir informações irrelevantes”, diz Julie Fiez, professora do departamento de neurociência da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos.

Outro benefícios está relacionado ao esforço que o cérebro faz para manter o equilíbrio entre as duas línguas. Um estudo da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos revelou que como os dois idiomas estão sempre ativos e competindo entre si, os mecanismos de controle do cérebro estão em constante fortalecimento. 

Isso sem falar que ao aprender um novo idioma nos tornamos pessoas mais empáticas, abertas para viver diferentes experiências e superamos as barreiras linguísticas que nos separam do resto do mundo. Nos tornamos mais conectados com as pessoas em casa, no trabalho e em nossas relações pessoais. 

 

Como aprender um novo idioma

Antes de começar os estudos você precisa pensar sobre qual o propósito de aprender um novo idioma. Ou melhor, o idioma que escolheu. Essa reflexão ajudará a direcionar o aprendizado, reduzindo assim o esforço empregado. Depois é hora de começar a criar um cronograma de uma 1 hora de prática diária, que inclui diferentes atividades, 

Um ponto muito importante é passar metade de sua hora de estudo praticando com um nativo ou alguém fluente no idioma. Fuja dos livros e faça perguntas, crie diálogos, converse e discuta sobre diferentes assuntos. Isso ajuda a fixar o aprendizado. Só ler e repetir em voz alto o que está nos livros não é tão efetivo. 

Atenção, os especialistas alertam que o cérebro precisa de um tempo de prática curto e frequente para assimilar novas informações, para fazer a conexão entre o aprendizado novo e o anterior. Estude 1 hora por dia, durante 5 dias na semana ao invés de 5 horas consecutivas, uma vez por semana. 

Agora é a sua vez de aprender um novo idioma! Monte um cronograma e depois de alguns meses venha contar para nós sobre o seu progresso.