Em uma roda de amigos nesse fim de semana, fui questionada a respeito das principais diferenças entre o francês canadense e o europeu. Confesso que esta não foi a primeira vez, afinal trata-se de uma dúvida comum entre os curiosos e estudiosos da língua.

Pode-se dizer que da mesma forma que o português do Brasil se diferenciado do europeu, o francês falado no Canadá tem suas particularidades e pode ser facilmente identificado por um Europeu. As mudanças estão no sotaque, vocabulário e expressões.

Segundo a Organisation Internationale de la Francophonie, 32 estados adotaram o francês como língua oficial. Cada um fala o idioma ao seu modo, contudo a oposição mais marcante no universo francófono está entre o francês canadense e o francês europeu. Continue a leitura e conheça as diferenças entre essas duas versões da língua francesa e faça bonito nas traduções.

Diferenças entre o francês canadense e o europeu

O Canadá foi colonizado pela França por volta do século XVI, sendo a região de Quebec a mais povoada, motivo este que deu origem a expressão “francês québécois” para designar o francês falado no Canadá. No mesmo período, os britânicos chegaram ao país e trouxeram a influência da língua inglesa, tornando o francês canadense tão particular.

A seguir, conheça as principais diferenças entre o francês canadense e o europeu:

Nasalização

Devido ao contato com o inglês britânico, o francês canadense herdou a nasalização das vogais. Palavras com vogais próximas a consoantes nasais, assimilam seu traço nasal. Um exemplo disso é a palavra “pain”, que na França se pronuncia como “pã” e no Canadá como “péin”.

Fonética

No português temos muitas palavras com grafias e significados diferentes, mas com a mesma pronúncia, como “calda” e “cauda”. Já no francês europeu, palavras com essa mesma característica apresentam sons diferentes no francês québécois. Um exemplo disso é a palavra “maître” (mestre) e “mettre” (colocar). Na frança, essas palavras são pronunciadas da mesma forma. Enquanto que no Canadá, o “e” da segunda é mais alongado.

Contrações

As contrações são muito comuns no francês. Trata-se de uma estratégia usada tanto no francês canadense quanto no francês europeu, como uma forma de acelerar o diálogo. O mesmo acontece no inglês. Veja a seguir alguns exemplo:

  • “il” vai para “y”;
  • “plus” pode virar “pu”;
  • “je suis” pode virar “chu” ou apenas “ch”.

Expressões e palavras típicas

Todo idioma carrega suas próprias expressões. Apesar de ser a mesma língua, as diferenças regionais e jeito próprio dos québécois de falar, fez surgir dialetos bem singulares. Confira alguns logo abaixo:

  • namorada: “blonde” (Québec) e “petite amie”;
  • namorado: “chum” (Québec) e “petit ami”;
  • dirigir: “chauffer” (Québec) e “conduire”;
  • almoço: “dîner” (Québec) e “déjeuner”.

Mesmo com a influência do inglês, o francês europeu e o canadense têm a mesma base de língua. Sendo assim, independente de qual você aprenda vai conseguir se comunicar com um nativo do Canadá e da França. Contudo se precisar fazer uma tradução ou transcrição talvez sinta dificuldade e acabe cometendo alguma gafe.

Se você não conhece todas as diferenças entre o francês canadense e o europeu, então evite situações embaraçosas e contrate um tradutor profissional. Pelo menos, é o que sempre digo aos menos amigos!