Skip links

Tradução e Internacionalização de Games

A tradução é um fator importante para atrair um novo público ao mercado de games e normalmente o trabalho é feito por agências especializadas em jogos ou empresas de tradução, como é o caso da Universo.

Essas empresas reúnem profissionais especializados em tradução e contam com revisores e todo tipo de gente que trabalha para textos e áudios saírem com perfeição na língua do país que vai receber o game traduzido.

O mercado de games no Brasil

A popularidade de jogos online e o maior acesso à Internet banda larga também contribuíram para o crescimento do mercado brasileiro. O setor digital, em específico, teve o maior crescimento registrando, aumentando em 337,5% desde 2008. “O Brasil é um polo de crescimento no mercado global de videogames, que hoje é liderado por Estados Unidos, Japão e Reino Unido”, afirmou o analista Leonardo Freitas, que diz que o sistema de consumo destes países já está totalmente estruturado, enquanto o Brasil “está em desenvolvimento”.

A tendência é de que a arrecadação do mercado de games brasileiro chegue a R$ 4,6 bilhões até 2018, graças ao lançamento de novos produtos e maior consumo entre classes baixa e média.

O processo de “Localização”

Devido a concorrência e obtenção de novos mercados, os desenvolvedores de jogos precisam deixar seus produtos adaptáveis aos mais diversos mercados. No âmbito mais empresarial, isso é chamado de “Internacionalização”, que nada mais é do que adaptar um produto para a realidade local em que ele será inserido. Para isso, é necessário que ele seja fácil de ser modificado para tal propósito (internacionalização), mas também que tenha relação com a cultura daquele local específico que será vendido. Na localização podemos ter tradutores, revisores, editores, testers de funcionalidade, linguísticos, diretores de arte e dublagem, atores etc.

De modo geral, é necessário que o localizar saiba muito bem o idioma que irá traduzir (idioma-alvo), mas também aquele idioma em que o jogo se encontra (idioma-fonte), como podemos ver nessa reportagem da Revista Abrates (pág. 21). Jogos de tiro, por exemplo, alguns países permitem o sangue (EUA) e outros não (Alemanha), esse é um tipo de “localização” que precisa ser bem analisada.

Quem lidera o processo é o gerente de projeto de localização e é ele quem orienta o grupo de tradutores e revisores envolvidos sobre a linha de trabalho adotada e, por isso, precisa ser alguém bastante familiarizado com games. Os tradutores não têm acesso ao jogo, eles recebem são arquivos de texto (documentos, planilhas) que a desenvolvedora fornece como script (roteiros para gravação de áudio) ou conteúdo in-game (textos de telas e menus), além de algumas informações gerais sobre o game para saber como funcionam os termos da área, cultura em geral, contexto onde será aplicado no jogo, um bom vocabulário técnico, algumas habilidades literárias para fazer falas do tempo da idade média, de pirata, regionais, além de um básico em tecnologias de informática para conseguir fazer o processo de localizar.

Terminado o processo da tradução, começa a fase de testes de linguagem para a verificação dos textos e áudios do jogo, quando os profissionais checam se falas e legendas correspondem e aparecem na hora certa. Nessa etapa entram os language testers, jogadores fluentes em cada um dos idiomas que são convocados para testar o game e apontar quaisquer falhas que passaram despercebidas.

Existe um curso de Tradução de Games?

No Brasil, o Brasillis é a primeira instituição a oferecer o curso de Tradução de Games. Com a movimentação de R$2 bilhões por ano, esse mercado consiste em profissionais que traduzem para diversos idiomas todo o sistema de um jogo.

“É fascinante, para nós, poder ter a oportunidade de ver o Brasillis ser o pioneiro nesse mercado, com o curso que forma tradutores de games”, diz o gestor da instituição. Com sete meses de existência e crescente divulgação, Roberto afirma que cada vez mais empresas conhecem e contratam o serviço de tradução de jogos. A previsão é que o mercado movimente cerca de R$5 bilhões em 2019.

Para participar do curso a pessoa tem que ter ensino médio completo e pelo menos 18 anos. Ela vai realizar um teste gratuito antes de se matricular e o curso completo dura 15 meses, porém  o curso específico só de Tradução de Games dura dois meses.

Deixe um comentário