Skip links

Tradução na Copa do Mundo 2018

Visando aumentar esse fluxo intercultural sem que se perca muito tempo com adequações “quebra-galho”, investir em tradução simultânea tem sido a chave para o sucesso dos mais diversos tipos de eventos e situações acadêmicas em que várias nações estão ocupando um mesmo local e é necessário que as pessoas consigam interagir e compartilhar conhecimento. Entretanto, é fato que somos muitos e falamos muitas coisas diferentes e que nem sempre são de fácil compreensão, então é primordial o trabalho dos intérpretes.

Como é a Tradução Simultânea?

Embora seja comum que ambos os profissionais dividam ambientes comuns e as áreas de pesquisa estejam bastante atreladas, tradução e interpretação simultânea são profissões diferentes. Inclusive, tem sido considerado errado chamar o intérprete de tradutor porque considera-se um tradutor aquele profissional que lida com a linguagem escrita, enquanto o intérprete lida com oralidade.

Esse tipo de confusão é muito comum porque ambas as profissões lidam com a função de intermediar duas línguas distintas. Ou seja, são grandes responsáveis por tornar funcional a comunicação global, seja por meio da tradução de livros e placas ou pela mediação de uma conversa entre um russo e um brasileiro, por exemplo.

A tradução simultânea, diferente da consecutiva, é feita em tempo real e sem a necessidade de equipamentos ou pausas. Portanto, é necessário que o tradutor tenha pleno conhecimento das atividades envolvidas para que não haja nenhum tipo de falha de comunicação entre os interlocutores, algo extremamente dentro dos padrões da Universo Traduções que conta com uma equipe de intérpretes extremamente competente para agir nos mais diversos ambientes.

A tradução em si é uma função já conhecida desde muitos anos antes de se entender o que era isso de fato, visto que existem manuscritos traduzidos desde o início da nossa civilização. Enquanto o tradutor pode ser responsável pela tradução e adequação linguística de um site que irá ser inserido em um mercado internacional ou artigos científicos internacionais que precisam ser adaptados para o contexto da pesquisa que está sendo feita.

A História da Tradução Simultânea

Após a Segunda Guerra Mundial e a necessidade do julgamento dos nazistas, houve a necessidade de se conversar em uma única voz. O problema foi que diante da diversidade linguística que habita o planeta, foi necessário que tradutores fossem organizados para conseguir que o conteúdo fosse amplamente divulgado e com um tipo de tradução menos demorada e mecânica, surgindo assim a profissão de intérprete e a tradução simultânea.

Como estávamos saindo de um longo e denso período de falta de empatia entre as nações, todo cuidado e atenção durante os comunicados e coletivas era extremamente necessário. Qualquer informação mal interpretada poderia gerar uma nova onda de conflitos e como modelo de tradução muito utilizado na época, tradução consecutiva, exigia muita aparelhagem e tempo de processamento, foi necessário que a tradução simultânea fosse colocada em prática para que a comunicação entre os países fosse direta e sem nenhum tipo de intervenção ou possíveis manipulações, já que esse tipo de tradução tende a ser ao vivo. Portanto, era necessário que o tradutor tivesse pleno conhecimento das atividades envolvidas para que não houvesse nenhum tipo de falha de comunicação entre os interlocutores.

A tradução simultânea foi um grande passo não só para ampliar a comunicação em tempo real entre as pessoas dos mais diversos cantos do mundo, como para o crescimento intelectual do intérprete. Os estudos na área afirmam que o cérebro humano ao “gravar” o significado de uma determinada palavra em outro idioma, associa esse tipo de informação a outras questões que o ajudem a memorizar, aumentando o conhecimento de mundo do indivíduo.

A Linguagem dos Grandes Eventos Mundiais

É muito comum que esse assunto venha à tona próximo de grandes eventos mundiais, como Copa do Mundo e Jogos Olímpicos. Durante a Copa do Mundo de 2014, por exemplo, o Brasil investiu na capacitação linguística dos voluntários que fizeram parte do evento para que a comunicação fosse mais dinâmica e menos mecanizada.

Existem reportagens adiantando o tipo de preparação que o Japão está tendo para receber as próximas Olimpíadas, principalmente pelo fato de terem um dos idiomas mais complexos para a grande massa populacional que vem do ocidente. A Rússia, a nação mais próxima de receber um grande evento, sediará a Copa do Mundo de 2018 e no evento de chaveamentos das equipes teve que lidar com uma pane nos sistemas de tradução automática e por alguns minutos nos deparamos com uma situação em que muitas das pessoas não entendiam nada do que estava sendo dito ali, como pode ser visto nessa matéria em relação a gafe sofrida pelos russos.

Deixe um comentário