As previsões em que o desempenho humano poderá ser ultrapassado pelas máquinas começam a gerar questionamentos. Os testes de Inteligência Artificial (AI) avançam a passos largos e os resultados são surpreendentes. Assim como muitas profissões foram extintas com a internet, podemos esperar um cenário parecido com a AI. Poderá a inteligência artificial superar a humana? Continue lendo e descubra! 

 

Inteligência Artificial: um olhar para o futuro

Investigadores da Universidade de Yale (EUA) e da Universidade de Oxford (Reino Unido) realizaram um estudo com o intuito de entender o quanto o ser humano poderá vir a ser superado pelas máquinas. O estudo recebeu o nome de “When Will Artificial Intelligence Exceed Human Performance?”, que traz a opinião de 352 cientistas e especialistas.

Muito se ouve falar a respeito da velocidade com que a AI está se desenvolvendo e como ela mudará a sociedade como a conhecemos. Saúde, transporte, economia e ciência serão os setores mais afetados. O estudo surgiu com o intuito de entender esse cenário no que se refere ao tempo em que o ser humano será superado em determinadas atividades. 

Acredita-se que em algumas décadas procedimentos complexos como cirurgias e a escrita de best sellers tornem-se uma tarefa simples para a AI. O estudo mostrou que em 45 anos atividades humanas serão realizadas por sistemas de AI. Já falando da automação total do trabalho, há 50% de chances de que acontece daqui a 122 anos e 10% de acontecer em 20 anos. 

 

A criatividade pode ser a solução

Uma visão mais otimista é a de Noel Sharkey, especialista em robótica da Universidade de Sheffield, no Reino Unido. Para ele pensar que o ser humano pode vir a ser superado em sua totalidade por máquinas não passa de uma especulação. Ele não acredita que a inteligência artificial possa ser comparada com à humana. 

Já o físico Stephen Hawking em uma entrevista para à BBC (2014), disse que os seres humanos estão limitados por sua evolução biológica, sendo improvável competir com a AI. Contudo aponta uma saída, que o segredo está na competência. 

O ser humano possui uma capacidade criativa única. Até o momento as máquinas não demonstram sinais de desenvolvimento de inteligência criativa. Isso porque ainda não é possível programar sistemas neurais complexos. Pensando nisso, o profissional do futuro precisa estar em constante aperfeiçoamento e ir além da sua área, ser multifuncional. 

Aprender coisas novas, entender de artes e estimular o lado criativo do cérebro será o grande diferencial do ser humano frente a geração de máquinas inteligentes que estão surgindo. Para os redatores, só traduzir textos não será mais satisfatório. O profissional precisará tornar-se uma espécie de consultor, usar sua criatividade para construir o melhor texto ao invés de apenas traduzir. 

O ser humano precisa ter em mente que ele já está competindo com as máquinas no mercado de trabalho e que isso pode chegar a um nível mais intenso. Para se destacar ele vai precisar desenvolver a empatia e a criatividade. Mesmo as atividades em que é mais difícil a substituição das pessoas (saúde, psicologia, ensino e etc) é preciso tomar consciência e começar agora a introduzir a criatividade na sua profissão. 

Você acredita que sistemas de Inteligência Artificial podem superar o ser humano? Deixe um comentário e conte para nós a sua visão de futuro.