Skip links

Quais as vantagens e as desvantagens de trabalhar como freelancer?

Para muita gente, a ideia de trabalhar como freelancer é muito tentadora. Mas, quais as reais vantagens de trabalhar como tradutor autônomo? E, mais importante: quais as contrapartidas dessas vantagens? Neste artigo, apresentamos alguns pontos de vista sobre a vida de freela, suas partes boas e suas partes ruins.

Você faz seus horários freelancer – liberdade x autocuidado

A primeira vantagem em que todo mundo pensa quando passa pela cabeça ser freela, é fazer os próprios horários. E essa é, de fato, uma vantagem muito grande – até um privilégio, talvez. Poder escolher se quer fazer um horário de trabalho “de escritório”, se quer trabalhar só à noite, se quer trabalhar todos os dias da semana ou só em alguns dias. Poder decidir quando vai tirar férias, se baseando naquela promoção maravilhosa de passagens, sem ter que pedir permissão ou esperar o “ok” do chefe. Poder ir à academia, no mercado, na farmácia, ou em algum restaurante almoça, sem ter que ir naquele horário em que todo mundo vai, ou seja, com muito mais tranquilidade. Essas realmente são grandes vantagens, e certamente são o maior “chamariz” de novos profissionais para a área de trabalho freelancer.

Porém, o outro lado da moeda dessa vantagem é a necessidade de saber balancear seus horários e sua rotina de trabalho, tendo responsabilidade com os clientes, mas, acima de tudo, consigo e com seu bem-estar, já que o burnout é uma realidade enfrentada por muitos profissionais autônomos. É muito fácil para um tradutor freelancer aceitar diversos projetos e acabar sem tempo para cuidar de si e até para estudar e se especializar, o que, em si, acaba afetando a produtividade e a qualidade do serviço prestado por esse profissional. Muita gente que trabalha como freela acaba esquecendo que é vantajoso e produtivo ter uma vida social e momentos de lazer – não trabalhar o tempo todo! Tirar férias, por exemplo, é algo que fica em segundo plano para muitos profissionais autônomos, mas tirar uns dias do ano para não trabalhar é fundamental para recarregar as energias. Então, lembre-se: fazer os próprios horários envolve muita responsabilidade e capacidade de organização e disciplina. Com o tempo, o profissional pode perceber quanto tempo leva para traduzir uma, duas, dez laudas – e isso facilita a negociação de prazos realistas com os clientes, e pode ajudar a estabelecer um horário de trabalho que faça sentido para cada tradutor.

Você escolhe seus projetos freelancer: liberdade x instabilidade

Outra grande vantagem de trabalhar como tradutor freela é que você tem a liberdade de escolher os projetos com os quais quer trabalhar. Por exemplo, se você quer focar em uma área específica – textos jurídicos, médicos, técnicos –, uma carreira como autônomo dá essa oportunidade de escolha. Se você trabalha em uma empresa como tradutor, ou até para uma empresa de tradução, você não tem essa liberdade – vai precisar traduzir a demanda que for repassada para você, sem tanto controle sobre seu trabalho. Além disso, você pode escolher se vai querer aceitar qualquer projeto, mesmo os pequenos, ou se prefere focar em projetos grandes, que consomem mais tempo, mas também têm mais retorno financeiro. Essa liberdade e esse controle são ótimos, principalmente para tradutores que já estão há algum tempo no mercado e que já têm uma base de clientes com quem sabe que pode contar.

A contrapartida dessa vantagem é a instabilidade – principalmente financeira – do trabalho freelancer. Quem trabalha como freela sabe: em alguns meses, aparecem vários projetos e você passa o mês trabalhando sem parar, e no fim ganhou uma boa quantia, às vezes até ótima; em outros meses, aparecem um, dois, ou até nenhum projeto. A verdade é que a maioria dos tradutores autônomos não recusa projetos, principalmente no início da carreira, porque recusar um job vindo de um cliente pode querer dizer que aquele cliente nunca mais vai procurar você – assim como aceitar um projeto pode render vários outros trabalhos. Então, saber escolher os projetos acaba sendo uma arte: você precisa pesar o momento, a situação do mundo, do mercado, tudo. Quem trabalha como freela algum tempo talvez até já saiba que, historicamente, alguns meses são bons, outros são horríveis. Faz parte! Por isso, uma boa ideia para quem quer trabalhar como freela é guardar dinheiro sempre que possível, para poder evitar grandes problemas naqueles meses de “vacas magras”!

Você decide onde trabalhar: conforto x confusão

E mais uma vantagem de trabalhar como freela, que deixa muita gente animada quando pensa sobre o assunto, é a possibilidade de decidir onde trabalhar: em casa, em um café, na casa de um amigo ou até viajando. Ser freela traz essa liberdade de levar o computador de um lado para o outro e trabalhar onde estiver. Tradutores freela têm a chance de se mudar mais facilmente de cidade ou até de país, e seguirem suas carreiras, levando-as consigo. E é ótimo não precisar estar confinado em um escritório, cercado de pessoas conversando, quando se precisa de concentração para traduzir algum texto cabeludo. O conforto de casa ou as delícias de algum cafezinho da rua, com certeza são um privilégio e tanto que quem trabalha como freelancer pode usufruir.

É fundamental ter um fim do dia de trabalho como freelancer

Mas, a desvantagem dessa vantagem é a confusão que pode se criar entre o que é o espaço de trabalho e o que é sua casa, seu espaço de descanso e lazer. Muita gente que trabalha como freelancer acaba trabalhando quase o tempo todo, seguindo a lógica de: bom, eu trabalho em casa, eu estou em casa, então vamos lá. Só que manter bem demarcada essa linha entre espaço produtivo e espaço de “fazer nada” é extremamente importante para a cabeça. É fundamental conseguir chegar ao fim do dia de trabalho e “desligar o cérebro”. Aliás: é fundamental ter um fim do dia de trabalho, não o estender até não dar mais! Para isso, uma ótima dica é montar um espaço em casa que seja dedicado para o trabalho. Não precisa ser um escritório fechado: pode ser uma escrivaninha com seu computador e suas coisas, mas que você use só para trabalhar. Também é muito importante estabelecer seus horários – com toda a liberdade que a carreira freela oferece, mas que eles sejam respeitados! Tenha um início e um fim para seu dia de trabalho – e deixe o sofá só para assistir à TV!

Por fim…

Esperamos que esse artigo tenha dado uma boa ideia do que é a carreira de freelancer. Querendo ou não, esse tipo de trabalho veio para ficar, e saber navegar as partes boas e ruins de trabalhar como freela é sempre uma boa ideia. Mas, no fim, uma coisa é certa: a palavra-chave para falar de ser freelancer é liberdade; e quem não gosta de ser livre?