Skip links

O que são e para que servem as ferramentas CAT de Tradução?

Quando estamos iniciando nossa carreira da tradução, usamos alguma ferramenta de edição de texto como o Word e outras parecidas. Porém, quando vamos nos profissionalizando e tendo mais experiência e mais clientes, é importante pensar na possibilidade de usar memórias de tradução, ou ferramentas CAT (CAT Tools). Neste artigo, vamos falar do que são as ferramentas CAT e por que é uma boa ideia utilizá-las para seus projetos de tradução.

O que são ferramentas CAT de tradução, afinal?

O “CAT” em ferramentas CAT quer dizer “computer-assisted translation”, ou “computer-aided translation”, ou seja, tradução ajudada ou auxiliada por computador, também chamadas no Brasil por memória de tradução. Essas ferramentas nada mais são do que programas que auxiliam o tradutor a ter mais produtividade, agilidade, consistência e qualidade em seus projetos de tradução, ao facilitar a criação de glossários e bases de termos, e auxiliar na recuperação de traduções específicas e repetitivas.

Então… ferramentas CAT de tradução são iguais a tradução por máquina?

Muita gente se pergunta se a tradução utilizando as ferramentas CAT seria, então, igual a uma tradução automática. A resposta curta é: não. Apesar de muitos software de memória de tradução disponibilizarem ferramentas para “machine translation” (tradução por máquina), aquela tradução automática realizada por programas como o Google Tradutor e outros, essa não é a principal função desses software. Basicamente, não é para isso que elas servem, mesmo que a opção exista, embutida no programa.

As memórias de tradução existem para auxiliar um tradutor, ou seja, um profissional qualificado que está realizando aquele trabalho. Todos os glossários e bases linguísticas utilizados pelo profissional a partir da ferramenta CAT, terão sido criados ou encontrados por ele, estando, assim, muito longe do funcionamento de uma tradução automática. A tradução por máquina se alimenta de bases de dado linguísticos para traduzir palavra por palavra um texto que seja inserido em seu sistema. Porém, esses programas não compreendem o contexto, o público alvo, nem os intuitos das palavras que está traduzindo.

A ferramenta CAT auxilia o tradutor em seu trabalho, mas não faz a tradução por ele; é ele que terá que fazer essa interpretação e ponderar as melhores escolhas para cada texto. Assim, existem grandes diferentes entre esses dois tipos de tradução.

Quais são, então, as vantagens de usar as ferramentas CAT de tradução?

a) A memória de tradução:

Ao importar um documento para o programa de CAT, o texto a ser traduzido será imediatamente dividido em segmentos. Os segmentos normalmente correspondem a uma frase, mas podem também ser menores, como um título, por exemplo. O tradutor vai traduzir o texto segmento por segmento. Para cada uma dessas partes, a ferramenta CAT vai fazer sugestões de tradução a partir das memórias de tradução já criadas pelo usuário. Essas memórias são criadas a partir de outros trabalhos já realizados utilizando a ferramenta. Assim, se você, digamos, traduzir um manual para uma empresa, e dois anos depois eles contratarem você para traduzir o manual da atualização da mesma máquina, você não precisará refazer toda a pesquisa que fez da primeira vez que fez a tradução: com a ferramenta CAT, todos os termos estarão guardados em seu glossário, prontos para serem reutilizados.

b) Uso consistente da terminologia

Quando você está traduzindo um texto, especialmente se ele for técnico ou científico, é muito importante que os termos técnicos sejam utilizados com consistência. Ou seja, se você traduziu uma palavra ou expressão de um jeito na primeira página, e essa mesma palavra ou expressão aparecer novamente cinquenta páginas depois, você precisa utilizar a mesma tradução. O problema é que nem sempre isso acontece. Nosso cérebro não consegue lembrar exatamente de todas as palavras que lemos em um texto, muito menos das opções tradutórias que fizemos para cada uma delas. Pode ser que quando a palavra reapareça, você nem lembre que já traduziu ela antes e traduza de outro jeito, criando, assim, uma inconsistência terminológica. A ferramenta CAT ajuda a manter a terminologia utilizada em um texto consistente durante toda sua extensão, aumentando, assim, a qualidade do produto final. A ferramenta faz isso através do uso de glossários e bases de dados terminológicos, que são criados pelos próprios usuários, ou podem ser baixados da internet e inseridos no software para uso posterior – digamos que você sempre usa um glossário de um site, você pode utilizá-lo nas traduções feitas no software CAT também, e de um jeito muito mais eficiente.

c) Checagem de qualidade

As ferramentas CAT também fazem um trabalho de “checagem de qualidade”, no qual automaticamente analisam o texto traduzido e indicam se há algum erro gramatical ou de pontuação – o que, sim, editores de texto como Word também fazem –, mas indo além disso. Os software CAT verificam, por exemplo, a extensão dos segmentos traduzidos, lançando um aviso caso a tradução esteja muito mais curta ou mais longa do que o texto original, o que pode indicar algum problema. O software também verifica que algum segmento “ficou para trás”, ou seja, ele aviso caso você tenha esquecido ou pulado um segmento sem querer. Com essas funcionalidades, as ferramentas CAT acabam garantindo não apenas mais qualidade e consistência, mas também mais agilidade para o tradutor, que não precisará fazer algumas dessas verificações manualmente após terminar de traduzir o projeto.

Qual ferramenta CAT de tradução devo utilizar?

A escolha da ferramenta CAT utilizada pelo tradutor vai depender das necessidades e possibilidades de cada tradutor. Existem muitos tipos de software de memória de tradução. Elas podem ser online, ou seja, funcionando como uma “nuvem” que pode ser aberta em qualquer lugar que tenha acesso a internet, ou podem ser programas instalados em cada computador. Também podem ser pagas ou gratuitas.

Alguns exemplos de memórias de tradução bastante utilizadas são Memsource e Wordbee (online e pagas), Smartcat e Wordfast Anywhere (online e gratuitas), SDL Trados Studio e memoq (instaladas e pagas), e OmegaT e CafeTran (instaladas e gratuitas).

Cada uma dessas opções terá suas peculiaridades, mas a verdade é que todas as memórias de tradução funcionam de maneira parecida e bastante intuitiva. Apesar disso, existe, sim, uma curva de aprendizado ao se começar a usar uma dessas opções. É aconselhável treinar com textos próprios antes de se aventurar a utilizar as memórias com um prazo de entrega de projeto. Na internet, você pode encontrar facilmente vídeos que explicam o uso das memórias mais populares.

Esperamos que as ferramentas CAT de tradução ajudem você a se tornar um tradutor ainda mais competente e produtivo!